Portfólio Papel do Pedagogo – O papel do pedagogo na efetivação da Gestão Democrática

Curso: Licenciatura em Pedagogia. Semestre: 7º / 8º

Trabalho sobre o papel do pedagogo na efetivação da gestão democrática.

COMPRE CLICANDO AQUI

A proposta de Produção Textual Interdisciplinar terá como temática O papel do pedagogo na efetivação da Gestão Democrática. Escolhemos este assunto para possibilitar a aprendizagem interdisciplinar dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas desse semestre e, também, para
consolidar a reflexão sobre a prática na escola.

O princípio da gestão democrática, embora se apresente como norma jurídica desde a Constituição Federal 1988, tem sugerido uma “diversidade de interpretações” que variam de acordo com o lugar e os agentes envolvidos. Entende-se por democracia a garantia da “materialização dos direitos de igualdade social” e a “não separação entre o econômico e o político”. Entretanto no Brasil, segundo Peroni (2012, p. 25) ocorreu “um enorme descompasso
entre a abertura democrática e as estratégias do capital”. Assim, embora tenhamos avançado no campo da legislação, o país apresenta uma cultura democrática embrionária. (PERONI, V. M. A democratização da escola em tempos de parceria entre o público e o privado. In: Rev. Pró-posições, Campinas, v. 23,
n.2 (68), p. 19-31, mai/ago. 2012)

Considerando a participação e deliberação pública no processo de decisão, Paro (2000, p. 9) chama atenção para o fato da gestão democrática frequentemente ser tratada como uma utopia. Não obstante, é necessário considerar que a gestão democrática “é parte do projeto de construção da democratização da sociedade brasileira”. (PARO, V. H. Gestão democrática da escola pública. 3.ed. – São Paulo: Ática, 2000. 117p.)

Portanto, os processos de participação que se materializam no contexto escolar são “processos pedagógicos de aprendizagem da democracia” para o pedagogo e demais atores da comunidade interna e externa, visto que após anos de ditadura este “é um longo processo de construção” (PERONI, p. 26, 2012).

No que concerne à participação, muitas instituições escolares instituem instâncias colegiadas como: os conselhos, associações de pais e grêmios estudantis. Estas, por vezes, podem se tornar esferas burocratizantes e pouco democráticas, assim:

[…] O seu potencial só se confirma quando as pessoas do universo escolar tomam a democracia e o diálogo como princípio não apenas das suas relações na escola, mas como um fundamento da vida, em todas as esferas da sociedade, e conseguem transpor a esfera do desejado, implementando o princípio,
transformando-o em método ou, pelo menos, em agenda, tanto na organização da educação/escola quanto na pesquisa […]. (SOUZA, 2009, p. 137). (SOUZA, Â. R. Explorando e construindo um processo de gestão democrática. Educação em Revista. Belo Horizonte, v.25, n.03. p.123-140 .dez. 2009)

Considerar que a possibilidade de participação garante a construção de um ideário educacional democrático pressupõe entender a escola como um espaço de “anseio do crescimento dos indivíduos como cidadãos e do crescimento da sociedade enquanto sociedade democrática”. (PERONI, 2012, p. 25).

A busca pela oferta de um ensino de qualidade está fundamentada no princípio da democratização da educação. Contudo, promover a gestão participativa/democrática pressupõe ainda que o pedagogo atuando na gestão, estabeleça boas práticas de relacionamento interpessoal,
pois estas determinam as tomadas de decisões e são elas que fazem a diferença pelas atitudes que assumem, pelo uso dos recursos disponíveis, pelo empenho que dedicam na obtenção e criação de novos resultados e pelas estratégias quais implicam na resolução e enfrentamento de problemas
para que haja a efetivação do desenvolvimento.

Considerando a relevância da proposição da perspectiva de gestão democrática nas instituições escolares, a partir do que foi exposto, prossiga para a leitura e interpretação da Situação Geradora de Aprendizagem.

Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) – Portfólio Papel do Pedagogo

Para refletir sobre a atuação do pedagogo, tome como exemplo o caso que apresentaremos a seguir:

Rosa foi aprovada em um concurso público para atuar como pedagoga na rede municipal de educação e assumiu a vaga em uma Escola Municipal que oferta Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Na primeira semana de trabalho, percebeu que nessa escola, todas as decisões são tomadas pelo diretor e que os professores se encontram desmotivados e acomodados com o trabalho desenvolvido, não atendendo ao exposto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), no que diz respeito sobre o fortalecimento da ‘[…] competência pedagógica das equipes escolares para adotar estratégias mais dinâmicas, interativas e colaborativas em relação à gestão do ensino e da
aprendizagem (BRASIL, 2018, p.16).

Em uma conversa no intervalo com os professores Manuel e Fernando, estes, relataram a Rosa, que já estavam acostumados com a organização e gestão da escola, com os poucos momentos de formação e discussão, com as palestras de início do ano que pouco contribuem com as necessidades da sala de aula, e ainda, com a não participação da elaboração do Projeto Político Pedagógico (PPP). Ou seja, as necessidades identificadas pelos professores não eram asseguradas no documento que orienta as práticas escolares.

A partir do relato dos professores, Rosa refletiu e foi conversar com o diretor Maurício para entender como as decisões pedagógicas eram tomadas na escola, e para sua surpresa, o diretor relatou que geralmente ele toma as decisões junto com o corpo administrativo, sem consultar os professores, ou quando consulta, é por meio de uma votação rápida, sem discussão do assunto.

Quanto à construção do PPP, o diretor informou que são as pedagogas que realimentam o documento, devido ao pouco tempo que possuem para se reunir com os professores. Neste momento, Rosa pontuou sua preocupação com a realidade da escola, visto que está exposto na Constituição Federal de 1988, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB/1996) e no Plano Nacional de Educação (2014-2024) a necessidade de se assegurar a Gestão Democrática nas escolas
públicas brasileiras. O diretor compreendeu a preocupação de Rosa, mas, justificou que por precariedades enfrentadas na escola e acúmulo de trabalho não tem sido possível concretizar os princípios da Gestão Democrática, no entanto, se colocou à disposição para auxiliar a pedagoga Rosa a mudar a realidade.

Situação-problema (SP) – Portfólio Papel do Pedagogo

A partir das queixas dos professores Manuel e Fernando sobre a não participação na tomada de decisões, as formações pedagógicas que pouco contribuem para a ações em sala de aula e a não participação na construção do Projeto Político Pedagógico, Rosa identificou que a escola apresentava problemas de gestão, pouca integração entre professores e equipe gestora, o que impedia a efetivação da Gestão Democrática na construção de uma educação de qualidade.
Diante desta problemática, em conjunto com o diretor Maurício, a pedagoga Rosa decidiu realizar um trabalho para aproximar os professores da equipe gestora e implementar a Gestão

Democrática. Para isso, eles irão realizar um estudo sobre as contribuições da Gestão Democrática para a efetivação de uma educação de qualidade, elaborar um texto para disponibilizar aos professores, e ainda, propor uma ação visando a integração dos professores com a equipe gestora.

Agora é com vocês alunos! Coloquem-se no lugar da pedagoga Rosa e do diretor Maurício para a solução desse problema!

Para o desenvolvimento deste trabalho, o grupo deverá se colocar no lugar da pedagoga Rosa e do diretor Maurício e realizar as seguintes atividades:

1º) Realização da leitura dos textos sugeridos abaixo. Além dessas sugestões, o acadêmico também poderá utilizar para a elaboração do projeto os materiais disponibilizados pelas disciplinas do semestre:

BOSCHETTI, Vania Regina; MOTA, Assislene Barros; ABREU, Dayse. Gestão Escolar Democrática:
Desafios e Perspectivas. Revista de Gestão e Avaliação Educacional. Santa Maria, v. 5, n. 10, p.
103-111, jul/dez, 2016.
PARO, Vitor. A educação, a politica e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de
escola. Revista educação & pesquisa. São Paulo: v. 36, n. 3, p. 768-778, set/dez, 2010.
VEIGA, Ilma Passos Alencastro. Projeto Político Pedagógico: Uma construção coletiva. Brasília:
Sindicato dos Professores do Distrito Federal, 2014.

2º) Realizar um estudo sobre as contribuições da Gestão Democrática para a efetivação de uma educação de qualidade e construir um texto (de quatro a seis páginas).

3º) Propor uma ação visando a integração dos professores e da equipe gestora, para incentivar a participação de todos na tomada de decisão, conforme modelo a seguir:

Tema:
Objetivo:
Atividades a serem devolvidas com os professores:

Portfólio Papel do Pedagogo – O papel do pedagogo na efetivação da Gestão Democrática

Veja aqui todos os portfólios EAD de 2019.2

Veja aqui o Trabalho Unopar/Anhanguera/Pitágoras Portal Transparência